Menu

Portal FOP - Unicamp

Av. Limeira, 901 - Bairro Areião
CEP: 13414-903 - Piracicaba - SP

.

A+ A A-

Nossa História

  • Publicado em Cepae

O Centro de Pesquisa e Atendimento Odontológico para Pacientes Especiais – Cepae é uma unidade de pesquisa e serviço vinculada à disciplina de Psicologia Aplicada, do Departamento de Odontologia Social da Faculdade de Odontologia de Piracicaba – Unicamp.

Este Centro foi implantado na FOP em agosto de 1993, através do trabalho de um grupo de docentes e pesquisadores coordenados pelo Prof. Dr. Antonio Bento Alves de Moraes, titular da cadeira de Psicologia Aplicada desta instituição de ensino. Com a inclusão na Equipe, em janeiro de 1994, da cirurgiã-dentista Rosana de Fátima Possobon, inicialmente comissionada pela Prefeitura Municipal de Piracicaba e atualmente professora associada da área de Psicologia Aplicada da FOP-Unicamp, houve a consolidação dos serviços prestados à comunidade e o início do desenvolvimento de linhas de pesquisa que nortearam o crescimento e o fortalecimento deste Centro.

A implantação e o desenvolvimento do Cepae fundamentaram-se na concepção de saúde do modelo biopsicossocial, que propõe que o processo saúde/doença é afetado por fatores psicológicos, biológicos e sociais.

O objetivo do Cepae é a promoção da saúde, procurando trabalhar com práticas preventivas, aliando pesquisa e serviço, integrando Psicologia, Odontologia e outras áreas da saúde (especialmente a nutrição e a fonoaudiologia).

O Cepae desenvolve programas de atenção interdisciplinar, voltados à prevenção precoce de alterações bucais e sistêmicas e à promoção e manutenção da saúde, visando não somente a prestação de serviços junto à comunidade e a produção e divulgação de conhecimento científico, mas também a capacitação de profissionais de saúde para a atuação junto ao paciente.

As atividades de produção do conhecimento científico são atreladas aos problemas do serviço e reciclam todos os programas que são desenvolvidos. Assim, os serviços geram dados para o desenvolvimento de pesquisas que, por sua vez, oferecem sustentação científica aos programas oferecidos pelo Cepae. Estas atividades de pesquisa são desenvolvidas em nível de iniciação científica e pós-graduação e têm gerado conhecimento nas áreas de odontologia, psicologia, fonoaudiologia e nutrição. Além disso, a equipe mantém uma rotina de reuniões para estudo e discussão de casos clínicos e de textos científicos, com o objetivo de reciclar os conhecimentos e estimular a realização de pesquisa e a prática da leitura e análise crítica de artigos.

Todas as atividades de serviço e pesquisa desenvolvidas no Cepae são sistematicamente avaliadas e, com base nos resultados desta análise, procede-se a necessária reestruturação no serviço, implantando programas e/ou adequando aqueles que já estão em andamento. Os resultados destas avaliações subsidiaram não somente a implantação de novas frentes de atuação como, também, mudanças relativas ao ingresso do paciente nos programas oferecidos pelo Cepae. Na época de sua implantação, aceitava-se a inscrição de crianças com até 36 meses de idade. Ano a ano, a idade limite foi sendo diminuída, com o objetivo de atuar de forma mais precoce possível para a prevenção dos problemas bucais. Assim, atualmente, para ser paciente do Cepae, a criança é inserida ainda no período gestacional e permanece no programa até completar 5 anos de idade. Esta reestruturação permitiu a elaboração de programas voltados à gestante e à puérpera, com a finalidade de contribuir para a instalação e manutenção da prática do aleitamento materno, que é fundamental para a promoção da saúde da criança.

Ao longo destes anos de funcionamento, dezenas de profissionais e estudantes tiveram a oportunidade de integrar a equipe do Cepae, recebendo orientação e treinamento para a atuação interdisciplinar, com vista à prevenção precoce. A cada ano, a equipe se completa com cerca de 40 profissionais das 4 áreas de saúde (odontologia, psicologia, nutrição e fonoaudiologia), que permanecem por, no mínimo, um ano, num total de 8 horas semanais, o que equivale a 360 horas/ano.

 

Leia mais ...

Histórico

DOCENTES

O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke, formado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara em 1948, foi contratado com o fim específico de criar, instalar e reger a Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia, em 1957.

O Prof. Dr. René Guerrini, formado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Ribeirão Preto, em 1956, foi contratado como docente em 1957.

A partir de 1961, ocorreram as contratações de docentes oriundos da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba - IIES. Em 1962, para a Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia foi contratado o Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf, formado em 1961.

Em 1967, o Prof. Dr. René Guerrini assumiu a regência da Disciplina Odontopediatria do Departamento de Odontologia Infantil, ocasião em que o Prof. Dr. Simonides Consani, formado em 1964, transferiu-se da Disciplina Dentística Operatória para a Disciplina Materiais Dentários, em 1969.

Por muitos anos, a Disciplina Materiais Dentários contou com as atividades acadêmicas exercidas pelos docentes Luiz Antonio Ruhnke, Wolney Luiz Stolf e Simonides Consani. Somente em 1983, o Prof. Dr. Mário Fernando de Góes, graduado em 1978, foi contratado pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba – UNICAMP.

O Prof. Dr. Luiz Antonio Cardoso, formado em 1986, foi contratado junto à Área Materiais Dentários, em 1988. O referido docente transferiu-se para a Área Prótese Total do Departamento de Prótese e Periodontia, em 1990.

O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke aposentou-se em 1987 e a vaga foi preenchida, em 1990, pelo Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho, graduado em 1988.

A vaga decorrente da aposentadoria do Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf, em 1994, foi preenchida, em 1995, pelo Prof. Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti, graduado em 1991.

Atualmente, a Área Materiais Dentários conta com as atividades acadêmicas dos docentes Simonides Consani, Mário Fernando de Goes, Lourenço Correr Sobrinho e Mário Alexandre Coelho Sinhoreti, todos atuando na formação dos alunos de graduação, pós-graduação e extensão, junto ao Departamento de Odontologia Restauradora.

FUNCIONÁRIOS

Sidney Barbosa de Souza foi contratado junto à Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia, em 1958, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes em pesquisa e aos alunos no preparo de aulas práticas. O servidor Sidney Barbosa de Souza aposentou-se em 1982.

Jorge Alcarde foi contratado junto à Área Materiais Dentários, em 1963, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes e alunos. O servidor Jorge Alcarde aposentou-se em 1982.

Genny Forti foi transferida para a Área Materiais Dentários, em 1977, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos alunos no preparo de aulas práticas. A servidora Genny Forti aposentou-se em 1995.

Adário Cangiani foi transferido da Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiróz” para a Área Materiais Dentários, em 1978, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes em pesquisa e aos alunos no preparo de aulas práticas. O servidor Adário Cangiani aposentou-se em 1993.

Atualmente, a Área Materiais Dentários é composta pelos funcionários Sra. Selma Aparecida Barbosa Segalla e Eng. Marcos Blanco Cangiani, desenvolvendo atividades de apoio aos docentes e alunos em atividades de graduação, pós-graduação e extensão, junto ao Departamento de Odontologia Restauradora.

Leia mais ...

Histórico

A ENDODONTIA NA FOP-UNICAMP

A Endodontia foi implantada na FOP em 1958, juntamente com Periodontia, Terapêutica e Patologia, integrando um elenco de disciplinas que compunham a cadeira de Patologia, sob o comando do competente catedrático Benedito de Campos Vidal, tendo como Professores Assistentes mais compromissados com a programação de ensino de Endodontia os docentes: Walter Daruge, Lourenço Bozzo e Oreste Benatti.

Como reflexo da reforma universitária, baseada no sistema departamental, que passou a vigorar a partir de 1968, as antigas disciplinas passaram a ser consideradas como Áreas. Assim a Área de Endodontia, tendo como responsável o Prof. Orestes Benatti, foi alocada, juntamente com uma série de outras Áreas, ao Departamento de Medicina Oral. Além do Prof. Oreste Benatti, o corpo docente de Endodontia contava com os Profs. Assistentes Antônio Abe e Joélis Pupo, todos trabalhando em tempo parcial, cujas atividades se restringiam ao Curso de Graduação.

Em 1972 e 1973, com os remanejamentos do Prof. Luiz Valdrighi, da Área de Patologia, e do Prof. Renato Roberto Biral, da Área de Microbiologia, ambos em RDIDP, para a Endodontia, o corpo docente desta área recebeu um importante reforço. Por decisão da equipe, o Prof. Luiz Valdrighi assumiu a coordenação administrativa da disciplina. Essas mudanças permitiram a dinamização das atividades da Endodontia, que aos poucos foi sendo dotada da infra-estrutura necessária e indispensável à produção científica, conquistando área física própria, montagem e aparelhamento do laboratório de pesquisa, funcionamento de arquivo de separatas e criação de biblioteca especializada.

Com esse alicerce foi implementado um plano de trabalho que culminou com a reorganização e aprimoramento da programação de ensino, com material didático compatível, paralelamente ao desenvolvimento de trabalhos de pesquisa. Este trabalho propiciou condições para que no ano de 1974 fosse editado um livro texto de Endodontia, em co-autoria com o clínico especialista nesta área Dr. Ruy Hizatugu, além de criação e início de funcionamento do Curso de Especialização em Endodontia, um dos primeiros do Brasil, oferecido anualmente, sem interrupção até hoje, com mérito de ser um dos mais conceituados do País. Publicando trabalhos e participando de congressos e reuniões científicas; ministrando conferências e cursos, no Brasil e no Exterior, os docentes da Endodontia conquistaram prestígio e a FOP se tornou centro de referência dos mais importantes da América Latina. O fruto deste trabalho alcançou igualmente reflexos internos, sendo a disciplina de Endodontia considerada, por muitos anos seguidos, com o mais eficiente nas avaliações semestrais dos alunos do curso de graduação, criando as condições que ensejaram que dois docentes da Endodontia fossem eleitos para o honroso desempenho das funções administrativas de Diretor da Faculdade: Prof. Valdrighi 1982-1986 e Prof. Biral 1990-1994.

Neste período iniciou-se o oferecimento do Curso de Atualização e também o processo de renovação do corpo docente da Endodontia, iniciado com a contratação do Prof. Francisco José de Souza Filho em 1988. A partir de 1992, como uma das Áreas de opção, a Endodontia integrou o Curso de Pós-Graduação em Clínicas Odontológicas, com mestrado e doutorado, completando o ciclo de oferecimento de cursos em todos os níveis: atualização, especialização e mestrado/doutorado.

Com a consumação posterior das aposentadorias dos Professores Oreste Benatti, Antonio Abe, Renato Roberto Biral e Luiz Valdrighi, completou-se a renovação do corpo docente no período de 1996-1997, com as contratações de novos professores: Alexandre Augusto Zaia, Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes, Caio Cezar Randi Ferraz e Fabrício Batista Teixeira, todos em RDIDP, trazendo uma injeção de sangue novo tão necessário, não só para manter mas e sobretudo para incrementar o dinamismo da Endodontia.

Com a aposentadoria do Prof. Valdrighi em 1996, que continuou a colaborar como professor convidado, a importante função de professor Responsável pela Área de Endodontia, foi assumida pelo docente Francisco José de Souza Filho, que imprimiu um ritmo exemplar de trabalho, orientando a formação inicial dos novos docentes, atribuindo-lhes gradativamente de encargos didáticos e administrativos visando à descentralização, com a filosofia de espírito de equipe, assegurando a individualidade, mas afastando o individualismo tão indesejável ao trabalho coletivo.

Nesta 3ª e produtiva fase da Endodontia da FOP ocorreu a implantação do ENDOCENTRO, que engloba o Centro de Microscopia Oral Dr. Palmyro Ferranti, que foi o primeiro dos especialistas em Endodontia no Brasil, Ocorreu também a reformulação e re-equipamento do laboratório de pesquisa da Endodontia, dando assim as condições básicas e indispensáveis a continuidade do desenvolvimento e manutenção do prestígio de que desfruta a Endodontia da FOP-UNICAMP. Hoje em dia a Endodontia da FOP tem inúmeros artigos publicados em revistas especializadas indexadas internacionalmente e nacionalmente. Seus docentes são requisitados para ministrarem cursos em todo o país, além de serem consultores ad-hoc de órgãos de fomentos e revistas especializadas internacionais e nacionais.

Em 2005, Prof. Francisco passou a responsabilidade da área de Endodontia para o Prof. Alexandre Zaia, que mantém a filosofia do espírito de equipe. Em 2007, devido a saída do Prof. Fabrício Teixeira, atualmente na Universidade de Chapell Hill, Carolina do Norte, EUA, foi contratado um novo docente, Prof. Dr. José Flavio Affonso de Almeida, que veio adicionar à equipe.

Leia mais ...