Menu

.

FOP-Unicamp

Comissão dos Cursos e Serviços de Extensão

A+ A A-

Ceex (95)

Sub-categorias

Cursos de Difusão (7)

Criados pela deliberação CEPE A 06/01 e substituída pela CEPE A 22/04, com o propósito de divulgar cultura, conhecimentos e técnicas de trabalho. Estes são denominados, conforme o seu conteúdo, de:

 

a) Curso de Difusão Cultural;

b) Curso de Difusão Científica;

c) Curso de Difusão Tecnológica.

 

A carga horária mínima para estes cursos é de 1 hora, e não há atribuição de notas ou conceitos independentemente de haver processo avaliatório.

A emissão do Atestado de Frequência pela Diretoria Acadêmica é facultativa. A Unidade de Ensino responsável deverá explicitar se a referida emissão deverá ou não ocorrer. Na hipótese da Unidade optar pela emissão de Atestado, a matrícula será obrigatória, nos termos determinados para os demais cursos no âmbito da extensão.

Ver itens ...

Cursos de Atualização (2)

São regulamentados pela deliberação CEPE A 24/96.

Destinam-se a graduados em cursos superiores, tendo por objetivo, atualizar e melhorar conhecimentos e técnicas de trabalho. Tem uma carga mínima de 180 horas-aula, não computado o tempo de estudo individual e em grupo, sem assistência docente, ou de atividades extra classe.

Ver itens ...

ACUPUNTURA EM ODONTOLOGIA

Coordenadora: Profª. Dra. Maria da Luz Rosário de Sousa


  • Período de inscrição: 
  • Número de vagas: 20
  • Data limite para entrega da documentação: 
  • Início: 
  • Término: 
  • Oferecimento: Quintas-feiras das 13h30 às 17h30
  • Valor: 

Documentos necessários para matrícula:

  • Ficha de inscrição com termo de compromisso assinado (favor não assinar em testemunhas);
  • 01 cópia dos seguintes documentos:
    • CPF;
    • RG (frente e verso na mesma folha);
    • OBS: Não será aceito qualquer outro documento de identificação tais como Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Carteira de Classe, Carteira de trabalho, etc.
    • Certificado de conclusão do ensino médio, do curso técnico ou diploma de gradução (frente e verso).
    • Para consultar outras informações e efetuar a inscrição consultar o link: http://www.extecamp.unicamp.br/extensao.asp
    • Obs.: Matrícula para alunos estrangeiros (Clique aqui)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • Conceitos da Medicina Tradicional Chinesa (MTC): Teoria yin-yang; Cinco elementos; Oito princípios;
  • Conceitos sobre essência (Jing), energia (Qi), sangue (Xue) e líquidos orgânicos (Tin Ye); Órgãos e vísceras (Zang Fu);
  • Conceitos da neurociência: sistemas supressores de dor;
  • Diagnóstico pela língua;
  • Doze Meridianos Principais: trajetos externo e interno (localização e principais funções);
  • Meridianos Extraordinários;
  • Meridianos Correspondentes e Meridianos Acoplados;
  • Prática da arte de inserir: indicações e complicações;
  • Aplicação dos principais pontos para dor crônica em Odontologia;
  • Auriculoacupuntura;
  • Aplicação de ventosas e moxibustão;
  • Utilização de acupuntura em odontalgias (dor aguda).

BIBLIOGRAFIA

Acupuntura Tradicional. A arte de inserir. Ysao Yamamura. São Paulo, Editora Roca. 2a edição.2001.919p

  • Os Fundamentos da Medicina Chinesa. Um texto abrangente para acupunturistas e fitoterapeutas. Giovanni Maciocia.  São Paulo, Editora Roca, 2ª edição. 2007. 967p.
  • Ch’an Tao. Conceitos Básicos: Medicina Tradicional Chinesa Lien Ch’i e Meditação. Jou El Jia. São Paulo, Editora Icone. 2004 . 303p.
  • Acupuntura Clássica Chinesa. Tom Sintan Wen. São Paulo, Editora Cultrix. 2006. 248p.
  • Acupuntura Bioenergética e Moxabustão. Tomo I. Anatomia e Fisiologia. Desenvolvimento Biofísico da teoria da Medicina Tradicional Chinesa. A. Carlos Nogueira Pérez. Ediciones CEMETC. 8ª edição, 2010.966p.

 

 

 

 

 

Fale Conosco

Email da Secretaria: secesp@fop.unicamp.br

Telefone da Secretaria: (19) 2106-5226

Correspondência:

FOP/UNICAMP - Coordenadoria de Extensão
Av. Limeira, nº 901 - Bairro Areião - CP 52
Piracicaba - SP - Cep.:  13414-903

 (19) 99605-6423

Conceito Nacional

Historicamente, a Extensão é entendida como o Compromisso Social das Universidades Públicas, isto é; ela é o caminho pelo qual a universidade interage com a sociedade, prestando assistência, oferecendo educação continuada, transferindo ciência e tecnologia, detectando problemas e conjuntamente oferecendo soluções. Portanto, pode-se considerar que a Extensão conceitualmente é um “Processo Educativo, Cultural e Científico que Articula o Ensino e a Pesquisa de Forma Indissociável, Viabilizando uma Relação Transformadora entre a Universidade e a Sociedade”.

Comissão

 

Profª. Dra. Luciana Asprino

Presidente

asprino@fop.unicamp.br

 

Prof. Dr. Alexandre Augusto Zaia

Membro (Cursos de extensão/atualização/aperfeiçoamento)

zaia@fop.unicamp.br

 

Prof. Dr. Eduardo Hebling

Membro (Especialização)

hebling@fop.unicamp.br

 

Profª. Dra. Giselle Maria Marchi Baron

Membro (Especialização)

giselle@fop.unicamp.br

 

Prof. Dr. Márcio de Moraes

Membro (Especialização)

mmoraes@fop.unicamp.br

 

Profª. Dra. Renata Cunha Matheus Rodrigues Garcia

Membro (Área de Prestação de Serviço)

regarcia@fop.unicamp.br

 

Profª. Dra. Vânia Célia Vieira de Siqueira

Membro (Especialização)

siqueira@fop.unicamp.br

 

 

Aluno Estrangeiro

 

Etapas para ingresso de aluno estrangeiro nos cursos de extensão e especialização da FOP/Unicamp

1 – Fazer contato via e-mail com a secretaria de Extensão (secesp@fop.unicamp.br) e informar o curso de interesse; e dados pessoais tais como nome completo, nacionalidade e endereço;

2 – Após a secretaria receber o e-mail do interessado (a), será realizado o contato com o professor responsável pelo respectivo curso de interesse para verificar se o mesmo aceitará aluno (a) estrangeiro (a);

3 – Em caso de aceite pelo professor, o interessado será comunicado via e-mail de que deverá fazer a inscrição no respectivo curso;

4 – Após a inscrição online tiver sido efetuada, a secretaria providenciará um documento que será encaminhado à Diretoria Acadêmica (DAC-Unicamp) para que seja emitida a carta de aceitação do interessado (a). De acordo com a Portaria Gr-074/1997 de 28/05/1997 (http://www.pg.unicamp.br/mostra_norma.php?id_norma=1281), o documento de solicitação, oriundo da Unidade de Ensino, deverá ser protocolizado na DAC com, no mínimo, quarenta e cinco dias de antecedência da data da matrícula. Observação: nos cursos da FOP, a matrícula é efetivada na data de início do curso, portanto, o ideal é que o contato com a secretaria seja realizado de 2 a 3 meses antes da data de início do curso;

5 – Após emitida a carta de aceitação pela DAC, o documento será enviado ao interessado (a) no endereço informado no e-mail previamente encaminhado à secretaria de extensão; juntamente com as demais instruções necessárias;

OBSERVAÇÃO: caso o interessado faça inscrição online e não comunique a secretaria de extensão via e-mail, o ingresso do interessado ficará automaticamente impossibilitado.

Para a matrícula serão necessários os seguintes documentos:

  • · Cópia do passaporte onde constam os dados pessoais do aluno;
  • · Cópia do passaporte onde consta o visto;
  • · Cópia do passaporte onde consta o carimbo de entrega no país;
  • · Cópia do passaporte onde consta o carimbo de registro de visto;
  • · Cópia do protocolo de registro de visto (frente e verso)
  • · Cópia autenticada do Diploma de curso superior, traduzido por tradutor público juramentado e consularizado;
  • · Cópia do RNE - Registro Nacional de Estrangeiro ou protocolo de registro do visto na Polícia Federal;
  • · Cópia autenticada da Certidão de Nascimento ou Casamento consularizada;
  • · Ficha de Inscrição e termo de compromisso assinado (preenchidos online no ato da inscrição);
  • · Cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF); (observação: documento a ser providenciado no Brasil).

 

Versão Espanhol

Etapas para el ingreso del alumno extranjero en los cursos de extensión e especialización de la FOP/UNICAMP

1 – Hacer contacto vía e-mail con la secretaria de Extensión (secesp@fop.unicamp.br) e informar el curso de interés;  datos personales  tales como nombre completo, nacionalidad y dirección;

2 – Después que la secretaria reciba el e-mail del interesado (a), será realizado el contacto con el profesor responsable del respectivo curso de interés para verificar si el mismo aceptará al alumno (a) extranjero (a);

3 – En caso de aceptación por el profesor, el interesado será comunicado vía e-mail,  que deberá hacer la inscripción en el  respectivo curso;

4 – Después de la inscripción online realizada, la secretaria providenciará un documento que será encaminado a la Dirección Académica (DAC-UNICAMP) para que sea emitida la carta de aceptación del interesado (a). De acuerdo con la Portaría Gr-074/1997 de 28/05/1997 (http://www.pg.unicamp.br/mostra_norma.php?id_norma=1281), el documento de solicitación, oriundo de la Unidad de Enseñanza deberá ser protocolizado en la DAC con, el mínimo de cuarenta y cinco días de antecedencia de la fecha de la matrícula. Observación: en los cursos de la FOP, la matrícula es  efectuada en la fecha de inicio del curso, por tanto, lo ideal es que el contacto con la secretaria sea realizado de 2 a 3 meses antes de la fecha de inicio del curso;

5 – Después de emitida la carta de aceptación por la DAC, el documento será enviado al interesado (a) en la dirección informada por el e-mail previamente encaminado a la secretaria de extensión; juntamente con las demás instrucciones necesarias;

OBSERVACIÓN: caso el interesado haga su inscripción online y no comunique a la secretaria de extensión vía e-mail, el ingreso del interesado será automáticamente imposibilitado.

Para la matrícula serán necesarios los siguientes documentos:

  • · Copia del pasaporte donde constan los datos personales del alumno;
  • · Copia del pasaporte donde consta el visto;
  • · Copia del pasaporte donde consta el sello de entrada en el país;
  • · Copia del pasaporte donde consta el sello del registro de visto;
  • · Copia del protocolo de registro de visto (frente y verso)
  • · Copia autenticada del Diploma del curso superior, traducido por traductor público jurada e consular;
  • · Copia del RNE - Registro Nacional de Extranjero o protocolo de registro del visto en la Policía Federal;
  • · Copia autenticada del Certificado de Nacimiento o Casamiento consular;
  • · Ficha de Inscripción y termo de compromiso firmado (llenados online en el apto de la inscripción);
  • · Copia del documento de Persona Física (CPF); (observación: documento  providenciado en el Brasil).

 

Mais informações pelo email: secesp@fop.unicamp.br

 

Extensão na Unicamp

A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – PREAC foi criada em 1986, 20 anos após a implantação da Unicamp, embora seu regimento fizesse menção a esta atividade que constitucionalmente é obrigatória, e a Escola de Extensão – EXTECAMP foi criada em 1989.

A EVOLUÇÃO DOS CURSOS EM NÚMEROS

Dados Extecamp

 

São também, inúmeros os projetos de pesquisa, contratos e convênios com instituições de vulto nacionais e internacionais, canalizando ciência, tecnologia, cultura e saúde para a sociedade.

 

Comissão dos Cursos e Serviços de Extensão / Especialização

Histórico

A extensão é secular no mundo. Detectam-se atividades de extensão praticadas pelos membros da Igreja Católica com a finalidade de difundir seus dogmas, suas doutrinas e prestação de assistência à comunidade. Também famílias ricas patrocinavam estudiosos e artífices ajudando-os a difundir suas idéias e seus trabalhos para a sociedade.

Os primeiros registros oficiais sobre Extensão Universitária aparecem no Estatuto da Universidade Brasileira (Decreto-Lei no 19.851, de 1931 e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional no 4.024, de 1961), centrados na modalidade de transmissão de conhecimentos e assistência.

Após alguns encontros, em 1987 foi criado o Fórum Nacional de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas – FORPROEX, Nov. 1987, cuja missão foi Elaborar e Coordenar a Política de Extensão a ser desenvolvida pelas Instituições de Ensino Superior Públicas Brasileiras.

Em 1988, é promulgada a última Constituição Brasileira que no seu artigo 207 determina "as universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa, de gestão financeira e patrimonial e obedecerão ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão".

A LDB de 1996 – Lei 9.394, no seu cap. 4, art. 43, parágrafo 7, determina que a Universidade “deve ser aberta à participação da população, visando a difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição”.

O Plano Nacional de Educação (Lei nº 10.172, de 09/01/2001) - Programa de Desenvolvimento da Extensão Universitária sugeriu que se deve destinar 10% do total de créditos exigidos para a graduação no ensino superior público à atuação dos alunos em ações extensionistas, para os cursos que assim o desejarem.

Portanto é por meio da Extensão que:

  • A universidade interage com a sociedade;
  • A universidade viabiliza a transferência de ciência, tecnologia, cultura e arte para a sociedade, cumprindo o seu papel social e complementado suas atividades tradicionais de pesquisa e ensino na graduação e pós-graduação;
  • O ensino se torna necessariamente flexível e adaptado as demandas sociais. Estas características permitem atingir pessoas de diversos níveis de escolaridade.

Em 2003, o Ministério da Educação criou o SIEXBRASIL http://www.siexbrasil.renex.org.br. É um sistema de informação na Web com objetivo de padronizar, nacionalmente, a terminologia aplicada no registro de ações de extensão, criando assim, um cadastro único da extensão universitária no Brasil. A característica principal desse sistema é a possibilidade de registro e consulta sobre programas, projetos, cursos, eventos, prestação de serviços, publicações e outros produtos acadêmicos promovidos pelas universidades públicas. Neste sentido, todas as ações da extensão universitária devem ser classificadas por Áreas de Conhecimento, tendo por base as aplicadas pelo CNPq. Todas as linhas de pesquisa admitem atividades de desenvolvimento de ações de extensão – programas e projetos, prestação de serviços, realização de cursos e eventos – voltadas para a discussão, planejamento, implementação e avaliação visando a formação, capacitação e qualificação de pessoas que atuam na área e a produção e divulgação de informações, conhecimentos e material didático na área.

Extensão na FOP

A Faculdade de Odontologia de Piracicaba tem expressiva participação em atividades extensionistas. Antes, dispersas em decorrência da pouca estrutura da Comissão de Cursos e Serviços de Extensão da FOP. Pode-se afirmar que em média são efetuados 200.000 procedimentos nos cursos de Extensão, Graduação e Pós-Graduação oferecidos. Além disto, são oferecidos à comunidade atendimentos em vários Centros de Atendimento e Centros de Estudo e Pesquisa existentes na faculdade, como por exemplo: no Sempre Sorrindo, nas EMEIs – Escolas Municipais de Educação Infantil, na Assistência Mariana, no Atendimento para Perícias de Investigação da Paternidade, no Centro Cirúrgico, no Serviço de Radiologia Odontológica, no Cepae, no Orocentro e no Cetase. As atividades de Extensão que compreendem a educação continuada, em média/ano são oferecidos 141 cursos e disciplinas, 1.464 disciplinas de cursos múltiplipos e contabilizados 390 matrículas de alunos. Quinze convênios para pesquisa com instituições nacionais e internacionais, inserem a FOP no âmbito da extensão, como um destaque e exemplo a seguir por outras universidades públicas brasileiras.

Pode-se afirmar sem nenhuma dúvida, que a FOP está profundamente engajada em atividades de extensão, fortalecendo o tripé institucional Pesquisa – Ensino – Extensão e fortalecendo a sua missão constitucional de abertura para a comunidade.

Assinar este feed RSS