Menu

Portal FOP - Unicamp

Av. Limeira, 901 - Bairro Areião
CEP: 13414-903 - Piracicaba - SP

.

A+ A A-

Equipe

FUNCIONÁRIOS EM ATIVIDADE

SELMA A. BARBOSA SEGALLA
A técnica de laboratório Selma Aparecida Barbosa Segalla tem formação em ensino fundamental e médio.
Em 1990, foi contratada como técnico de laboratório junto à Área Materiais Dentários, na qual desempenha funções de preparo de materiais para as aulas práticas de graduação, controle da presença e dos trabalhos executados pelos alunos. Nessa atividade também exerce função de secretariado junto aos docentes e alunos de graduação e pós-graduação.

MARCOS BLANCO CANGIANI
O técnico de laboratório Marcos Blanco Cangiani é graduado em Engenharia Mecânica pela Escola de Engenharia de Piracicaba – FUMEP, em 1992.
Em 1994, foi contratado como técnico de nível superior junto à Área Materiais Dentários, desempenhando as funções de ensino e monitoramento dos alunos na utilização dos equipamentos e aparelhos existentes nos laboratórios de Materiais Dentários. Também é responsável pelo desenvolvimento das atividades de pesquisa e funções correlatas dos alunos de graduação e pós-graduação. Nessa atividade também exerce suporte logístico aos docentes da Área Materiais Dentários e demais docentes em atividades de laboratório.
O técnico Marcos Blanco Cangiani obteve o título de mestre em Materiais dentários, em 1998.

DOCENTES APOSENTADOS

LUIS ANTONIO RUHNKE
O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke é graduado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara, em 1948.
Em 1957 foi contratado como docente pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba, pertencente ao Instituto Isolado de Ensino Superior do Estado de São Paulo, com a finalidade de criar, instalar e reger a Disciplina de Tecnologia dos Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia.
Exerceu atividades na graduação e pós-graduação, onde participou da formação de recursos humanos voltada para o ensino e pesquisa de materiais dentários.
Participou de funções administrativas, tendo sido Chefe de Disciplina, Chefe de Departamento e Representante MS-6 junto à Congregação.
Como Chefe de Disciplina foi responsável pela criação dos Programas de Mestrado e Doutorado em Materiais Dentários, exercendo também a função de Coordenador do Curso de Pós-graduação em Materiais Dentários.
Exerceu a função de Diretor Associado da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP.
O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke aposentou-se em 1987.

WOLNEY LUIZ STOLF
O Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf é graduado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba, pertencente ao Instituto Isolado de Ensino Superior do Estado de São Paulo, em 1961.
Contratado como docente em 1962, obteve o título de Doutor, em 1967, e de Livre Docente, em 1986, na área Materiais Dentários.
Exerceu atividades na graduação e pós-graduação, onde participou da formação de recursos humanos voltada para o ensino e pesquisa de materiais dentários.
Exerceu diversas funções administrativas.
O Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf aposentou-se em 1994.

FUNCIONÁRIOS APOSENTADOS

O técnico de laboratório Sidney Barbosa de Souza foi admitido em 1958 para desempenhar as funções de apoio aos docentes e alunos. O servidor Sidney Barbosa de Souza aposentou-se em 1982.

O técnico de laboratório Jorge Alcarde foi admitido em 1963 para desempenhar as funções de no apoio aos docentes e alunos. O servidor Jorge Alcarde aposentou-se em 1982.

A técnica de laboratório Genny Forti foi admitida em 1977 para desempenhar as funções de apoio aos alunos. A servidora Genny Forti aposentou-se em 1995.

O técnico de laboratório Adário Cangiani foi admitido em 1978 para desempenhar as funções de técnico no apoio aos docentes e alunos. O servidor Adário Cangiani aposentou-se em 1993.

Leia mais ...

Linhas de Pesquisa

As linhas de pesquisa que embasam o estudo dos materiais odontológicos compreendem: materiais para modelos; materiais para moldagens; materiais restauradores metálicos e plásticos; materiais para cimentações adesivas ou não; materiais para fundições; materiais abrasivos e polidores; resinas acrílicas para uso protético; e ligas metálicas.

Leia mais ...

Equipamentos

A área Materiais Dentários possui em seus laboratórios os seguintes equipamentos destinados ao ensino e à pesquisa:

  • medidor de rugosidade de superfície;
  • microscópio metalográfico;
  • microscópio comparador linear;
  • lupa esteroscópica;
  • medidor de microdureza de superfície;
  • máquina para ensaios de tração e compressão;
  • estufas;
  • centrífugas para fundições;
  • máquinas para abrasão e polimento;
  • máquinas para inclusão a vácuo;
  • cortadeiras;
  • metalizador para observação em MEV;
  • equipamento para fadiga mecânica;
  • equipamento para fadiga térmica;
  • fornos para cerâmica;
  • aparelho para foto-elasticidade;
  • aparelho de carga para assentamento de peças;
  • máquina para teste de impacto;
  • e outros assessórios coadjuvantes para uso laboratorial.
Leia mais ...

Objetivos

A Área Materiais Dentários tem como objetivo o restabelecimento da integridade da restauração funcional e estética, tanto nos casos mais simples como nos mais complexos, tendo como embasamento o domínio do conhecimento do comportamento físico-químico dos materiais odontológicos e sua aplicação.

Com esse objetivo principal, a Área Materiais Dentários propõe fornecer condições para o aprendizado dos alunos de graduação e pós-graduação, em níveis cognitivo e/ou psicomotor. O objetivo proposto está intimamente relacionado aos assuntos dos materiais odontológicos de domínio laboratorial e clínico, sempre estimulando o desenvolvimento da consciência crítica, fundamentada no conhecimento das propriedades físico-químicas em função da aplicação dos materiais odontológicos, principalmente nas especialidades Dentística e Prótese Dental.

Leia mais ...

Histórico

DOCENTES

O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke, formado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Araraquara em 1948, foi contratado com o fim específico de criar, instalar e reger a Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia, em 1957.

O Prof. Dr. René Guerrini, formado em Odontologia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Ribeirão Preto, em 1956, foi contratado como docente em 1957.

A partir de 1961, ocorreram as contratações de docentes oriundos da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba - IIES. Em 1962, para a Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia foi contratado o Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf, formado em 1961.

Em 1967, o Prof. Dr. René Guerrini assumiu a regência da Disciplina Odontopediatria do Departamento de Odontologia Infantil, ocasião em que o Prof. Dr. Simonides Consani, formado em 1964, transferiu-se da Disciplina Dentística Operatória para a Disciplina Materiais Dentários, em 1969.

Por muitos anos, a Disciplina Materiais Dentários contou com as atividades acadêmicas exercidas pelos docentes Luiz Antonio Ruhnke, Wolney Luiz Stolf e Simonides Consani. Somente em 1983, o Prof. Dr. Mário Fernando de Góes, graduado em 1978, foi contratado pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba – UNICAMP.

O Prof. Dr. Luiz Antonio Cardoso, formado em 1986, foi contratado junto à Área Materiais Dentários, em 1988. O referido docente transferiu-se para a Área Prótese Total do Departamento de Prótese e Periodontia, em 1990.

O Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke aposentou-se em 1987 e a vaga foi preenchida, em 1990, pelo Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho, graduado em 1988.

A vaga decorrente da aposentadoria do Prof. Dr. Wolney Luiz Stolf, em 1994, foi preenchida, em 1995, pelo Prof. Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti, graduado em 1991.

Atualmente, a Área Materiais Dentários conta com as atividades acadêmicas dos docentes Simonides Consani, Mário Fernando de Goes, Lourenço Correr Sobrinho e Mário Alexandre Coelho Sinhoreti, todos atuando na formação dos alunos de graduação, pós-graduação e extensão, junto ao Departamento de Odontologia Restauradora.

FUNCIONÁRIOS

Sidney Barbosa de Souza foi contratado junto à Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia, em 1958, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes em pesquisa e aos alunos no preparo de aulas práticas. O servidor Sidney Barbosa de Souza aposentou-se em 1982.

Jorge Alcarde foi contratado junto à Área Materiais Dentários, em 1963, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes e alunos. O servidor Jorge Alcarde aposentou-se em 1982.

Genny Forti foi transferida para a Área Materiais Dentários, em 1977, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos alunos no preparo de aulas práticas. A servidora Genny Forti aposentou-se em 1995.

Adário Cangiani foi transferido da Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiróz” para a Área Materiais Dentários, em 1978, para desempenhar as funções de técnico de laboratório no apoio aos docentes em pesquisa e aos alunos no preparo de aulas práticas. O servidor Adário Cangiani aposentou-se em 1993.

Atualmente, a Área Materiais Dentários é composta pelos funcionários Sra. Selma Aparecida Barbosa Segalla e Eng. Marcos Blanco Cangiani, desenvolvendo atividades de apoio aos docentes e alunos em atividades de graduação, pós-graduação e extensão, junto ao Departamento de Odontologia Restauradora.

Leia mais ...

Bem vindos

DOCENTES


A área Materiais Dentários tem origem na Disciplina Materiais Dentários e Metalurgia Aplicada à Odontologia da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba, pertencente ao Instituto Isolado de Ensino Superior do Estado de São Paulo, criada em 1957 e instalada à rua D. Pedro II, 627, no prédio do antigo educandário Externato São José.

Leia mais ...

Linhas de Pesquisa

Objetivos

O curso de Especialização em Endodontia, ministrado anualmente, visa oferecer aos cirurgiões-dentistas clínicos, um aprimoramento teórico-científico e atualização na área de Endodontia, tornando-os aptos a realizarem diagnóstico, tratamentos e retratamentos endodônticos com consciência, tranqüilidade e, sobretudo, atendendo aos padrões de qualidades técnicas de uma casuística diversificada, incluindo casos considerados mais complexos no âmbito desta importante especialidade clínica.

Estratégia de Ensino

O programa de ensino compreenderá atividades na forma de aulas expositoras, dentro de uma dinâmica de participação ativa dos alunos; seminários dos temas abordados com fundamentação da literatura específica, workshops; aulas práticas de laboratório (em dentes extraídos) e prática clínica com atendimento de pacientes; complementadas por seminários de análise de casos clínicos, previamente selecionados, de tratamento endodônticos realizados pelos alunos.

Carga Horária e Calendário do Curso

As atividades de ensino, teóricas e práticas, da programação do curso, serão desenvolvidas uma semana por mês de segunda a quinta-feira, período integral, com carga horária total de 640 horas.

Sistema de Avaliação

Preferencialmente, dada a natureza e qualificação dos alunos, adotar-se-á o sistema formativo na avaliação do aproveitamento de aprendizado. Desta forma, cada aluno será acompanhado, passo a passo, em seu desempenho em todas as atividades de ensino (nas aulas expositoras, seminários e treinamento prático), observando-se freqüência, aproveitamento do horário e organização nas atividades práticas. No decorrer do curso, algumas provas formais serão realizadas. Além disso, será obrigatório, para os alunos, a elaboração de monografia, de assunto pertinente, sob a orientação de integrantes do corpo docente, designado pela coordenadoria do curso.

Corpo Docente

O curso será ministrado pelo corpo docente da Área de Endodontia e por professores e endodontistas convidados pela coordenadoria.

Programa Básico do Curso - Área de Concentração

  1. Considerações sobre a evolução e os avanços técnicos-científicos da ENDODONTIA e a qualificação para o seu exercício na clínica;
  2. Histofisiologia do complexo pulpo-dentinário e dos tecidos periapicais e o potencial de defesa e reparação frente as agressões naturais e iatrogênicas, analisando as implicações clínicas;
  3. Morfologia do dente e da cavidade pulpar de interesse à clínica endodôntica. Principais variações de câmara pulpar e dos canais radiculares e sua importância para o planejamento dos tratamentos de canais radiculares.
  4. Patologia e diagnóstico das alterações pulpares e periapicais. Diferenciação clínico-radiográfica de pulpites reversíveis e necrose pulpar. Diferenciação entre pericementites, abcessos apicais e as lesões periapicais crônicas: cistos e granulomas. Orientação e prognóstico dos tratamentos.
  5. Microbiologia aplicada à Endodontia: microrganismos: quais são, onde estão, que danos causam e como combatê-los. Microrganismos e endotoxinas: como removê-los.
  6. Radiologia aplicada à Endodontia: Artifícios técnicos e interpretação para aumentar as informações radiográficas, propiciando melhores condições para a execução dos tratamentos de canais radiculares.
  7. Anestesiologia aplicada à Endodontia: Técnicas anestésicas de infiltração local e por bloqueio regional para mandíbula e maxila, intra e extra-bucais. Alternativas de complementação quando a anestesia não se completa. Tranqüilização prévia para pacientes tensos;
  8. Abertura coronária de acesso aos canais radiculares. Orientação técnica sobre a forma, localização e dimensão e sua execução nos diferentes grupos dentais;
  9. Preparo químico-mecânico dos canais radiculares. Técnicas convencionais e não convencionais para a instrumentação no preparo dos canais. Uso de brocas endodônticas (Gates-glidden e Largo) e de sistemas rotatórios. Clorexidina como substância química auxiliar: quais as suas vantagens sobre o hipoclorito de sódio?
  10. Planejamento e variações técnicas para o preparo de canais amplos (rizogênese incompleta, médios, constritos e calcificados, quando retos e curvos);
  11. Curativo intracanal. Considerações históricas de seu emprego em Endodontia. Propriedades, preparo das pastas e métodos de colocação no canal. Quando, o que e por que usar? Tratamentos endodônticos em uma ou mais sessões? Fatores que devem ser levados em consideração na tomada da decisão. Quais as vantagens da associação do hidróxido de cálcio com a clorexidina?
  12. Obturação dos canais radiculares. Importância e finalidade de obturação para assegurar o sucesso dos tratamentos endodônticos. Materiais empregados e suas propriedades biológicas e físico-químicas. Instrumental e técnicas de obturação empregando guta percha a frio termoplastificada. Técnica clássica de condensação lateral, técnica do cone modelado da FOP-UNICAMP, técnica híbrida com uso de condensadores de McSpadden. Considerações críticas sobre sistemas System B, Thermafil, Microseal e Obtura.
  13. Atendimento e emergências endodônticas. Procedimentos de urgências nas pulpites irreversíveis. pericementites e abcessos apicais agudos. Atendimento de urgência nos traumatismos dentais com luxações e avulsões dentais. Orientação e recomendações de procedimentos imediatos e mediatos.
  14. Acidentes técnicos de trepanação das paredes do canal ou de furca e de fratura de instrumentos no interior dos canais radiculares. Avaliação das dificuldades e orientação para a resolução clínica do problema, visando a conservação do dente;
  15. Retratamento de canais radiculares e restauração de dentes tratados endodonticamente. Preparo do espaço para retentores intra-radiculares. Critérios para determinar comprimento, forma e diâmetro dos retentores fundidos. Orientação para a colocação de pinos pré-fabricados tipo Flexipost, Radix-Anker, Unimetric, pinos de fibra de vidro e de carbono, entre outros. Remoção de pinos e núcleos para retratamento de canais radiculares, nos diferentes grupos dentais. Orientação de instrumental, solventes e técnicas para remoção de materiais obturadores nos retratamentos endodônticos.
  16. Clareamento dental. Interno para dentes tratados endodonticamente e externo para dentes vitais. Orientação dos procedimentos e materiais empregados nas diversas condições clínicas.
  17. Apicigênese e Apicificação. Tratamento endodôntico em dentes com rizogênese incompleta com vitalidade e com necrose pulpar.
  18. Cirurgias parendodônticas: Tipos, classificação, indicação e orientação de instrumental, material e técnicas empregadas. Qualificação do endodontista para sua realização;
  19. Metodologia do Ensino e do trabalho científico. Estrutura programática e grade curricular. Métodos de avaliação do aprendizado da atividade teórica e prática. Planejamento experimental de pesquisa laboratorial (experimental) e de campo (clínica). Análise e redação de trabalhos científicos.
  20. Ética e Legislação Odontológica. Aspectos legais e éticos importantes no exercício profissional da clínica odontológica. Relacionamento com os clientes e inter-profissional;
  21. Clínica Endodôntica. Treinamento de prática clínica no atendimento efetivo de pacientes, para o exercício de aplicações de conhecimento e habilidades no estabelecimento do diagnóstico, planejamento e execução dos tratamentos odontológicos da Área específica de Endodontia.

Programa de Ensino da Área de Domínio Conexo

Além de conhecimento específico de Endodontia, o programa do curso contém outras matérias consideradas necessárias e convenientes a complementar a fundamentação da qualificação dos especialistas. Nesta área de domínio conexo, estão incluídos conhecimentos de Patologia, Microbiologia, Farmacologia e Ética Profissional, ministrados por Professores especialmente convidado.

Leia mais ...

Graduação

DISCIPLINAS CURRICULARES

DP- 431 - PRÉ-CLÍNICA VI – 4º. SEMESTRE

  • UNIDADE 1. BIOLOGIA E PATOLOGIA PULPAR E PERIAPICAL
  • UNIDADE 2. DIAGNÓSTICO PULPAR E PERIAPICAL - CLÍNICO E RADIOGRÁFICO
  • UNIDADE 3. SELEÇÃO DE CASOS
  • UNIDADE 4. ASPECTOS MORFOLÓGICOS DA CAVIDADE PULPAR E RADICULAR
  • UNIDADE 5. ABERTURA CORONÁRIA E LOCALIZAÇÃO DA ENTRADA DOS CANAIS DE TODOS OS GRUPOS DENTAIS
  • UNIDADE 6. INSTRUMENTOS ENDODÔNTICOS
  • UNIDADE 7. TÉCNICA DE PREPARO DOS CANAIS RADICULARES
  • UNIDADE 8. RADIOLOGIA APLICADA À ENDODONTIA
  • UNIDADE 9. CURATIVO INTRA-CANAL, IRRIGAÇÃO E SELAMENTO PROVISÓRIO
  • UNIDADE 10. OBTURAÇÃO DOS CANAIS RADICULARES
  • UNIDADE 11. RETRATAMENTO DE CANAIS RADICULARES

DP-512 - PRÉ-CLÍNICA VII – 5º. SEMESTRE

  • UNIDADE 1: SEMINÁRIO EM ENDODONTIA
  • UNIDADE 2: SEMINÁRIO EM ENDODONTIA
  • UNIDADE 3. TRATAMENTO CONSERVADOR DA POLPA DENTAL
  • UNIDADE 4 CLAREAMENTO DENTAL INTERNO
  • UNIDADE 5 - EMERGÊNCIAS ENDODÔNTICAS
  • UNIDADE 6: TRAUMA DENTAL
  • UNIDADE 7: PREPARO E REMOÇÃO DE PINOS INTRARADICULARES
  • UNIDADE 8 - RADIOLOGIA APLICADA À ENDODONTIA
  • UNIDADE 9 - MICROSCÓPIO CLÍNICO
  • UNIDADE 10 - CIRURGIA PARENDODÔNTICA

DP - 721 - PRÉ-CLÍNICA X – Seminário clínico – 7º. SEMESTRE


DC-502 - CLINICA ODONTOLÓGICA INTEGRADA I – 5º. SEMESTRE

  • Tratamento endodôntico de dentes monorradiculares e birradiculares com raízes retas ou com curvaturas leves.
    (produção: 3 mono- ou birradiculares)

DC-602 - CLINICA ODONTOLÓGICA INTEGRADA II – 6º. SEMESTRE

  • Tratamento endodôntico de dentes monorradiculares e birradiculares comraízes retas ou com curvaturas leves.
    (produção: 3 mono- ou birradiculares ou 1 molar + 1 mono- ou birradicular)

DC-702 - CLINICA ODONTOLÓGICA INTEGRADA III – 7º. SEMESTRE

  • Tratamento endodôntico de dentes monorradiculares e birradiculares com raízes retas ou com curvaturas leves.
  • Tratamento endodôntico de molares com raízes retas ou com curvaturas leves. (produção: 1 molar + 1 mono- ou birradicular ou 2 molares)

DC-802 - CLINICA ODONTOLÓGICA INTEGRADA IV – 8º. SEMESTRE

  • Tratamento endodôntico de dentes monorradiculares e birradiculares com raízes retas ou com curvaturas leves.
  • Tratamento endodôntico de molares com raízes retas ou com curvaturas leves
    (produção: 2 molares)

DISCIPLINAS OPTATIVAS - GRADUAÇÃO

DO102 Metodologia Científica em Endodontia

  • Ementa: Planejamento experimental em Endodontia. Uso da biblioteca. Formas de publicação científica. Normas da ABNT aplicadas à publicação científica.

DO202 Iniciação Científica em Endodontia

  • Ementa: Seminários e discussão dos projetos de pesquisa desenvolvidos na disciplina de Endodontia. Redação de trabalhos científicos.

DO302 Metodologia Científica em Endodontia II

  • Ementa: Planejamento experimental em Endodontia

DO402 Iniciação Científica em Endodontia II

  • Ementa: Redação de artigos científicos. Seminários e discussão de projetos desenvolvidos na disciplina de Endodontia.

DO111 Estágio Clínico em Emergência Endodôntica I

  • Ementa: Execução de atividades clínicas associadas à Área de Endodontia para o alívio de dor de origem dental (dentes mono- ou birradiculares) em pacientes que procuram o Serviço de Plantão de Urgência da FOP-UNICAMP.

DO211 Estágio Clínico em Emergência Endodôntica II

  • Ementa: Execução de atividades clínicas associadas à Área de Endodontia para o alívio de dor de origem dental (dentes molares) em pacientes que procuram o Serviço de Plantão de Urgência da FOP-UNICAMP.
Leia mais ...

Histórico

A ENDODONTIA NA FOP-UNICAMP

A Endodontia foi implantada na FOP em 1958, juntamente com Periodontia, Terapêutica e Patologia, integrando um elenco de disciplinas que compunham a cadeira de Patologia, sob o comando do competente catedrático Benedito de Campos Vidal, tendo como Professores Assistentes mais compromissados com a programação de ensino de Endodontia os docentes: Walter Daruge, Lourenço Bozzo e Oreste Benatti.

Como reflexo da reforma universitária, baseada no sistema departamental, que passou a vigorar a partir de 1968, as antigas disciplinas passaram a ser consideradas como Áreas. Assim a Área de Endodontia, tendo como responsável o Prof. Orestes Benatti, foi alocada, juntamente com uma série de outras Áreas, ao Departamento de Medicina Oral. Além do Prof. Oreste Benatti, o corpo docente de Endodontia contava com os Profs. Assistentes Antônio Abe e Joélis Pupo, todos trabalhando em tempo parcial, cujas atividades se restringiam ao Curso de Graduação.

Em 1972 e 1973, com os remanejamentos do Prof. Luiz Valdrighi, da Área de Patologia, e do Prof. Renato Roberto Biral, da Área de Microbiologia, ambos em RDIDP, para a Endodontia, o corpo docente desta área recebeu um importante reforço. Por decisão da equipe, o Prof. Luiz Valdrighi assumiu a coordenação administrativa da disciplina. Essas mudanças permitiram a dinamização das atividades da Endodontia, que aos poucos foi sendo dotada da infra-estrutura necessária e indispensável à produção científica, conquistando área física própria, montagem e aparelhamento do laboratório de pesquisa, funcionamento de arquivo de separatas e criação de biblioteca especializada.

Com esse alicerce foi implementado um plano de trabalho que culminou com a reorganização e aprimoramento da programação de ensino, com material didático compatível, paralelamente ao desenvolvimento de trabalhos de pesquisa. Este trabalho propiciou condições para que no ano de 1974 fosse editado um livro texto de Endodontia, em co-autoria com o clínico especialista nesta área Dr. Ruy Hizatugu, além de criação e início de funcionamento do Curso de Especialização em Endodontia, um dos primeiros do Brasil, oferecido anualmente, sem interrupção até hoje, com mérito de ser um dos mais conceituados do País. Publicando trabalhos e participando de congressos e reuniões científicas; ministrando conferências e cursos, no Brasil e no Exterior, os docentes da Endodontia conquistaram prestígio e a FOP se tornou centro de referência dos mais importantes da América Latina. O fruto deste trabalho alcançou igualmente reflexos internos, sendo a disciplina de Endodontia considerada, por muitos anos seguidos, com o mais eficiente nas avaliações semestrais dos alunos do curso de graduação, criando as condições que ensejaram que dois docentes da Endodontia fossem eleitos para o honroso desempenho das funções administrativas de Diretor da Faculdade: Prof. Valdrighi 1982-1986 e Prof. Biral 1990-1994.

Neste período iniciou-se o oferecimento do Curso de Atualização e também o processo de renovação do corpo docente da Endodontia, iniciado com a contratação do Prof. Francisco José de Souza Filho em 1988. A partir de 1992, como uma das Áreas de opção, a Endodontia integrou o Curso de Pós-Graduação em Clínicas Odontológicas, com mestrado e doutorado, completando o ciclo de oferecimento de cursos em todos os níveis: atualização, especialização e mestrado/doutorado.

Com a consumação posterior das aposentadorias dos Professores Oreste Benatti, Antonio Abe, Renato Roberto Biral e Luiz Valdrighi, completou-se a renovação do corpo docente no período de 1996-1997, com as contratações de novos professores: Alexandre Augusto Zaia, Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes, Caio Cezar Randi Ferraz e Fabrício Batista Teixeira, todos em RDIDP, trazendo uma injeção de sangue novo tão necessário, não só para manter mas e sobretudo para incrementar o dinamismo da Endodontia.

Com a aposentadoria do Prof. Valdrighi em 1996, que continuou a colaborar como professor convidado, a importante função de professor Responsável pela Área de Endodontia, foi assumida pelo docente Francisco José de Souza Filho, que imprimiu um ritmo exemplar de trabalho, orientando a formação inicial dos novos docentes, atribuindo-lhes gradativamente de encargos didáticos e administrativos visando à descentralização, com a filosofia de espírito de equipe, assegurando a individualidade, mas afastando o individualismo tão indesejável ao trabalho coletivo.

Nesta 3ª e produtiva fase da Endodontia da FOP ocorreu a implantação do ENDOCENTRO, que engloba o Centro de Microscopia Oral Dr. Palmyro Ferranti, que foi o primeiro dos especialistas em Endodontia no Brasil, Ocorreu também a reformulação e re-equipamento do laboratório de pesquisa da Endodontia, dando assim as condições básicas e indispensáveis a continuidade do desenvolvimento e manutenção do prestígio de que desfruta a Endodontia da FOP-UNICAMP. Hoje em dia a Endodontia da FOP tem inúmeros artigos publicados em revistas especializadas indexadas internacionalmente e nacionalmente. Seus docentes são requisitados para ministrarem cursos em todo o país, além de serem consultores ad-hoc de órgãos de fomentos e revistas especializadas internacionais e nacionais.

Em 2005, Prof. Francisco passou a responsabilidade da área de Endodontia para o Prof. Alexandre Zaia, que mantém a filosofia do espírito de equipe. Em 2007, devido a saída do Prof. Fabrício Teixeira, atualmente na Universidade de Chapell Hill, Carolina do Norte, EUA, foi contratado um novo docente, Prof. Dr. José Flavio Affonso de Almeida, que veio adicionar à equipe.

Leia mais ...

Bem vindos

DOCENTES


ATUAÇÃO DA ÁREA DE ENDODONTIA DA FOP-UNICAMP

GRADUAÇÃO

A área de Endodontia inicia suas atividades pré-clínicas no quarto semestre, quando a maior parte do conteúdo programático do curso de Endodontia é ministrada aos alunos. Além de aulas teóricas, os alunos participam de laboratórios. A partir do quinto semestre, os alunos passam às atividades de Clínica Integrada. No 5º. Semestre existem também atividades pré-clínicas laboratoriais e teóricas.

DISCIPLINAS CURRICULARES

      • DP 431 – Pré-clínica VI – 4º. Semestre
      • DP 512 – Pré-clínica VII – 5º. Semestre
      • DP 721 – Pré-clínica X – 7º. Semestre
      • DC-502 - Clínica Odontológica Integrada I – 5º. Semestre
      • DC-602 - Clínica Odontológica Integrada II – 6º. Semestre
      • DC-702 - Clínica Odontológica Integrada III – 7º. Semestre
      • DC-702 - Clínica Odontológica Integrada IV – 8º. Semestre

DISCIPLINAS OPTATIVAS

      • DO-102 - Metodologia Científica em Endodontia - sugestão 5º. Semestre
      • DO-202 - Iniciação Científica em Endodontia – sugestão 6º. Semestre
      • DO-302 - Metodologia Científica em Endodontia II – sugestão 7º. Semestre
      • DO-402 - Iniciação Científica em Endodontia II – sugestão 8º. Semestre
      • DO-111 Estágio Clínico em Emergência Endodôntica I
      • DO-211 Estágio Clínico em Emergência Endodôntica II

Duração do curso: 8 semestres (80 alunos por turma) sendo prazo máximo de integralização 12 semestres.


EXTENSÃO

O objetivo dos cursos de extensão em Endodontia é oferecer aos cirurgiões-dentistas clínicos, aprimoramento técnico-científico e atualização na Área de Endodontia, tornando-os capazes de realizar o diagnóstico e tratamento endodôntico, de forma correta e de alta qualidade, de uma casuística sem muita complexidade.


ESPECIALIZAÇÃO

O objetivo do curso é formar especialistas capazes de Diagnosticar, Prevenir e Tratar as manifestações patológicas que acometem o tecido pulpar e periapical. Ao término do curso, os profissionais terão fundamentos técnicos e científicos para realizar, com excelência, procedimentos preventivos, curativos e de proservação.


PÓS-GRADUAÇÃO

A área de Endodontia é uma das opções do curso de Pós-Graduação em Clínica Odontológica, tendo conceito 6 junto a CAPES.
Tanto no nível de Mestrado quanto de Doutorado, o curso se destina à formação de docentes e pesquisadores qualificados, seguindo as linhas de pesquisas da disciplina:

  • ALTERAÇÕES PULPARES, PERIAPICAIS E PERIODONTAIS
  • INCIDÊNCIAS CLÍNICAS E ANATÔMICAS DE PROBLEMAS ENDODÔNTICOS
  • FATORES INFLUENTES NA REPARAÇÃO PÓS-TRATAMENTO ENDODÔNTICO
  • MICROBIOLOGIA APLICADA À ENDODONTIA
Leia mais ...
Assinar este feed RSS